Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Às Cavalitas do Vento

Sab | 30.04.16

para as melhores mães do universo



Recordo-me de ser pequenina e de ouvir a minha avó Tília dizer: "com três letrinhas apenas se escreve a palavra 'mãe', que é das palavras pequenas, a maior que o mundo tem". Na sua simplicidade e candura, esta frase guarda em si mesma mundos inteiros. É atravessada por uma grandiosidade tamanha que não cabe no peito. Naquele momento do tempo, que aninho com carinho nas gavetas da minha memória, lembro-me de sorrir sozinha e de pensar baixinho: "a palavra 'avó' também".

A verdade é que tenho duas mães na minha vida. A minha mãe Helena, nome da filha de Zeus e da princesa de Tróia, guerreira e dona de uma paciência infinita; e a minha avó materna, Otília de seu nome, Tília no meu mundo, como no poema de Florbela Espanca e nas infusões dos chás mais calorosos. Gosto de pensar que de ambas herdei o amor infinito que tenho à magia das palavras e a paixão, que descobri já em adulta, pela cozinha. Sem elas, eu não conseguiria sorver a vida desta forma tão especial ou demorar-me em cada detalhe delicado da espuma dos dias. Elas são as minhas maiores confidentes, os meus faróis de alegria, as minhas chamas imensas, as luzes que nunca se apagam.


Amanhã, Dia de todas as Mães, irei levá-las a passear por Lisboa. Quero que a minha avó volte a contemplar as águas-furtadas que um dia foram a sua casa, na Rua do Sol a Santa Catarina. Gosto tanto de ouvir as histórias que tem para contar: a infância na Covilhã, a sua terra natal, os primeiros anos de casada com o meu avô, os seus tempos de cerzideira, os filmes que via todos os domingos no cine-teatro Lido, as tardes na gelataria A Veneziana... Já a minha mãe sente saudades de trabalhar perto de Alcântara e de contemplar o rio Tejo da janela do escritório, de explorar as lojas castiças da cidade e de apanhar o elétrico. Quero vê-las sorrir, fazê-las felizes, oferecer-lhes todos os raios de sol que rasgam este céu primaveril.


Já compraram um miminho para oferecer às rainhas do vosso coração? A Fnac.pt está repleta de sugestões apelativas e arrebatadoras, a pensar nas mães que adoram ouvir música, devoram as últimas novidades literárias, fazem magia na cozinha, praticam exercício físico, fotografam com a alma e apreciam gadgets multifuncionais. Aproveitem todas as promoções (válidas até amanhã)! O álbum de Françoise Hardy é amor em estado puro, os ensinamentos de Oprah Winfrey verdadeiros mantras, os saudáveis conselhos de Samanta McMurray um boost de energia diário. Tudo o que precisam de saber está à distância de um clique em cada artigo. Uma das pessoas mais especiais do vosso mundo agradece!


Sab | 23.04.16

tardes de domingo na YAO Pressed Juicery

Casaco - Lefties / Top - H&M / Fio - Gold Velvet / Saia - Loja online da Mara Silvério / Mala - Vintage

A tarde de domingo prometia um sol radioso e foi precisamente esse quadro idílico que o dia proporcionou. Aproveitei para passear a pé pela minha adorada Lisboa e fazer uma visita a um espaço que estava na minha wishlist há algumas semanas: a YAO Pressed JuiceryTime Out Lisboa e a New in Town teceram rasgados elogios a este novo bar saudável da cidade, o que só fez com que tivesse ainda mais vontade de experimentar os frascos-maravilha.

À primeira vista, o espaço gerido pelos irmãos Eduardo e Jorge Marecos, e pelo amigo de ambos, Duarte Ramada Curto, pode parecer pequeno; há apenas um balcão em madeira, mas os 11 metros quadrados transpiram energia e vitalidade.  


A grande novidade deste recanto da Calçada do Combro, entre o Bairro Alto e Santos? Os sumos de pressão a frio, feitos a partir de um método que ajuda a conservar as propriedades e nutrientes dos alimentos por um período de cinco dias. Esta moda já faz furor no estrageiro, mas só agora é que vê a luz do dia no nosso país. Feitas diariamente na loja, apenas no momento do pedido do cliente, estas bebidas nutritivas, repletas de frutas, legumes e superalimentos, existem em dois tamanhos distintos, 250 ml (€3) e 500 ml (€5). Todos os produtos são frescos, sem adição de água, conservantes, açúcar ou aditivos. 

Foi bastante difícil escolher uma bebida do menu, entre sumos, smoothies, leites vegetais e shots de energia, os "Boosters". Depois de alguns minutos de indecisão, decidimos trazer connosco dois smoothies de cores primaveris de 335 ml cada (€3,90): o "The Blueberry Muffin", com leite de amêndoa, frutos do bosque, aveia e banana, e o "The  Big C", confecionado com laranja, manga, ananás, lima e bagas de goji. Que maravilha! Fiquei absolutamente fã e não vejo a hora de regressar, para experimentar o leite de amêndoa.


Se trabalham nas redondezas ou se procuram um espaço alternativo e saudável em Lisboa, passem à porta da YAO Pressed Juicery e levem convosco um copo refrescante. Nós decidimos relaxar ao sol no Miradouro do Adamastor e contemplar a quietude do rio Tejo. Parece um fim de tarde perfeito, não? E foi!

---
Largo Doutor António Sousa Macedo, 4B,
São Bento, Lisboa
Telf.: 913570403
Aberto todos os dias das 9h00 às 19h00
Seg | 18.04.16

manhãs em tons de vermelho

Oh, lazy days, how I love you! Desde a meninice que o domingo é o meu dia favorito da semana e o pequeno-almoço a refeição pela qual mais anseio. Receber ambos de braços abertos deixa-me verdadeiramente feliz. Hoje acordei com os primeiros raios de sol da manhã a entrar pela janela do quarto. De alma cheia, sorri sozinha à medida que ia abrindo os olhos e acolhia o encanto da luz natural. Puxei os lençóis para trás, coloquei um pé no chão para sentir o soalho e dei um pulo na cama, cheia de energia. Ao som dos vinis de Nat King Cole, saudei o astro-rei e meditei na varanda.

Entretanto, o ratinho que mora na minha barriga começava a clamar por sossego; estava na altura de fazer magia na cozinha, a minha divisão de eleição durante o fim de semana. Sonhara em tons escarlate durante a madrugada, por isso transportei esses desejos avermelhados para o meu pequeno-almoço. O morango foi o ingrediente escolhido para tornar esta refeição matinal saudável e irresistível.

Na minha última visita ao Continente, desviei por momentos a minha atenção da lista de compras. Ao passar pela secção de frescos e produtos biológicos não consegui resistir ao aspeto apetecível da caixa de morangos orgânicos. É verdade que dou primazia aos alimentos que cresceram numa terra vivaz e livre de químicos, apesar de, na sua grande maioria, serem vendidos a um preço pouco convidativo. Contudo, o Continente começa a ter uma vasta oferta de produtos ecológicos para todas as carteiras, tanto ao nível da alimentação como da limpeza da casa. E os frescos são para lá de bons! Suculentos e muito saborosos.


Pensei em várias receitas com morangos, simples e rápidas, que tornassem o nosso pequeno-almoço um agradável banquete de primavera. Preparei um iogurte biológico de morango e adicionei-lhe granola Doce ao Rubro, pepitas de cacau puro da Maria Granel, framboesas e morangos bio. Recentemente, descobri as maravilhas do queijo quarck com 0% de gordura, uma excelente fonte de proteína. Enquanto desportista, procurava uma opção saudável, rica em cálcio, com baixo teor de gordura e hidratos de carbono. Queria algo que colmatasse, de alguma forma, a ausência de leite de origem animal na minha alimentação, uma vez que consumo apenas bebidas vegetais e iogurtes de soja. Tenho delirado com a combinação de pão de muesli com queijo quarck e morangos. E porque lá por casa a fruta é obrigatória ao pequeno-almoço, preparei ainda um smoothie de morango e kiwi biológicos, sementes de linhaça, açúcar de coco e bebida de aveia. Tudo invenções da minha mente hiperativa!

Os frescos da marca Continente são tão apetecíveis e nutritivos, que dá vontade de colocar todos as frutas e legumes no cesto de compras. Se passarem pelo hipermercado mais próximo, encontrarão os morangos em destaque, assim como outros tantos produtos igualmente aprazíveis à vista e agradáveis ao palato. A loja online do Continente disponibiliza uma panóplia de dicas e de sugestões sobre como conservar todos os frescos deste fabricante. Fiquem também a saber quais os benefícios dos mesmos para a vossa saúde e a melhor forma de os preservar mais tempo no frio. Aqui, podem clicar nas imagens abaixo, individualmente, para começarem já a colocar em prática todos os conselhos do Continente.
 
Qui | 14.04.16

ao teu feitiço, Ericeira


O meu coração ficou atracado àquele fim-de-semana mágico na Ericeira. Podia começar simplesmente como tantas outras histórias de encantar: "era uma vez uma princesa índia"; mas nunca conseguiria fazer jus às memórias que guardo delicadamente num lugar especial do meu coração e que irei reviver para a toda a vida. É um lugar só meu, para onde deixo os meus pensamentos viajar às cavalitas do vento. Lá, onde a canção do mar é melodiosa, a areia o meu chão preferido, o céu a explosão de cor mais sublime que já contemplei. 



A convite do grupo byÉME, tive a oportunidade de ficar hospedada no Ericeira Boutique Flat, no centro da vila. Chegámos numa gélida noite de sexta-feira e fomos agradavelmente recebidos pelo gerente do espaço, João Malaquias. À nossa espera tínhamos um apartamento decorado em tons de branco, vermelho e azul, com vários apontamentos marítimos, tão típicos desta pitoresca zona de pescadores e de surfistas. Na mesa da sala de estar foi-nos deixada uma garrafa de vinho e dois pastéis de nata. A lareira ansiava por crepetir e aquecer a atmosfera, como, mais tarde, veio a acontecer. Imaginei-me naquela noite de açucenas, com aroma a jasmim, descrita por Rosa Lobato de Faria. Mas o melhor ainda estava para vir!


Procurávamos um lugar para jantar e aproveitar da melhor forma a nossa primeira noite fora da cidade, por isso recorremos à nossa aliada nestas alturas de indecisão, a app Zomato. Rapidamente percebemos que o único restaurante da praia de Ribeira d'Ilhas servia algumas refeições vegetarianas. Na muche! Aconselho-vos os noodles com legumes, o spaguetti integrale com espinafres e camarão, e, como não poderia deixar de ser, os refrescantes mojitos. Sim, são devaneios de quem aguarda ansiosamente o regresso das noites quentes de verão nos rooftops de Lisboa.


Já de regresso a casa e embalada pelo ímpeto das ondas, adormeci feliz por saber que na manhã seguinte, por volta das 10h, teria uma cesta de piquenique à porta. Tal como nos filmes, o pequeno-almoço saudável chegou aos nossos braços à hora marcada. Aproveitámos os primeiros raios de sol quentes para tomarmos a refeição na varanda, para podermos olhar para o mar e sentir a sua inebriante brisa. Ao som do reggae de Tell Me When, de Benjaminz, provámos o nosso pão de cereais, croissants acabadinhos de fazer, fruta, compotas, iogurtes, sumo natural de laranja, leite, chá e café. 


Já vos confidenciei que não consigo passar sem o meu café da manhã? Para tornar o início de dia ainda mais agradável, aprofundei o estudo do mindfulness (em grande medida graças ao livro Meditação e Mindfulness, de Andy Puddicombe, autor da app Headspace, gentilmente cedido pela editora Nascente) e aproveitei para meditar. Fazê-lo ao nascer do sol é das melhores sensações do mundo, garanto-vos! 


De mochila às costas, quais exploradores, escalámos rochedos e partimos à descoberta das praias das redondezas. Optámos por preparar o almoço no apartamento: beringelas recheadas com milho, cogumelos, queijo e tomate cereja. Experimentem, pois é um verdadeiro manjar dos deuses. Queríamos aproveitar a tarde para caminhar pelas ruas da Ericeira, à procura de tesouros preciosos. Visitámos uma loja de beneficência de três velhinhas absolutamente encantadoras. Em cada divisão desta casa aberta ao público havia uma parafernália de peças vintage, que tanto me fizeram lembrar a casa da minha avó Tília. Trouxe comigo uma edição antiga do livro As Sete Leis Espirituais do Sucesso, de Deepak Chopra. E ainda tive direito a um miminho do meu adorado Egito. 


Mas a nossa aventura ainda nos reservava bastantes surpresas. Uma das nossas melhores descobertas foi a KFÉ Coffee Shop, na rua de Santa António. A especialidade deste espaço alternativo, de aspeto nórdico, é, claro está, o café. Além disso, a gerência do espaço teve em atenção as exigências e intolerâncias alimentares dos clientes, de modo que existe a opção de beber um cappuccino feito com leite de amêndoa ou de soja. Não podem deixar de experimentar a torrada de pão de centeio com manteiga de amendoim, banana e lascas de coco.

A Loja da Amélia entrou diretamente para o meu top dez de supermercados convidativos. Na verdade, trata-se de uma mercearia um pouco fora do normal. É ampla, repleta de corredores e expositores, qual biblioteca de Hogwarts. As prateleiras são guardiãs de uma panóplia de opções biológicas. Não saí de mãos a abanar; não conseguia! No saquinho, veio uma batata doce laranja e flocos de quinoa.


Aproveitámos o final de tarde para dar uma volta com o Mazda CX-3 (o nosso carro de teste) pela Várzea de Sintra e pelas Azenhas do Mar, um dos meus postais preferidos de Portugal. A magia aconteceu quando dei por mim a revisitar um dos cantinhos que mais me falava ao coração, o Gourmet da Maria. Foi, em tempos, um dos meus primeiros mimos de domingo, mas desta vez teve um sabor diferente. Quando sentes que a tua companhia está realmente ali, contigo, a escutar com atenção os teus sonhos, tudo parece fazer sentido. 


Explorámos também uma das várias mansões assombradas das Azenhas do Mar, em Sintra, alimentando assim o nosso fascínio pelas histórias que Vanessa Fidalgo conta acerca do nosso Portugal espiritista. O pôr de sol que se seguiu é uma das recordações mais bonitas que tenho. O céu parecia ter sido pincelado com as cores do arco-íris e poder sentir que estava prestes a alcançá-lo, no telhado de uma das casas mais elevadas da encosta, foi como alcançar o Paraíso.



O domingo anunciava a chegada da chuva, talvez em consonância com o sentimento de tristeza que aos poucos se apoderava de nós. Dizer adeus à Ericeira e a um fim de semana de merecido descanso pesava no coração. O que é bom acaba depressa, já diz o ditado popular; mas a beleza da vida está na importância que damos ao positivismo e aos pormenores que se escondem por detrás da negrura. Aproveitei as últimas horas no Ericeira Boutique Flat para abrir a ampla janela da sala de estar, respirar o ar puro, deixar-me abraçar pelo vento e meditar. Bebi o meu Rebel Kitchen de café (feito a partir de bebida de coco), uma lembrança do 'nosso' KFÉ, e sentei-me no chão a relaxar, saboreando cada momento. 

Antes do nosso regresso a Lisboa, decidimos almoçar pela vila, num dos restaurantes que tinha chamado a nossa atenção durante o passeio de sábado. O Vira Copos prima pela decoração rétro, com portas envelhecidas pelo tempo a servirem de mesas e loiça desirmanada. Este espaço serve tapas e vinho, ainda que a especialidade da casa seja o bolo do caco com picanha. Pequei, é verdade; voltei a comer carne, mas nos últimos tempos tenho sido bastante fiel às minhas crenças e, sobretudo, à minha ligação intensa à natureza. Nota 10 para esta dica da Zomato!

Espero que tenham ficado com vontade de fazer uma visita ao Ericeira Boutique Flat e viver um fim de semana de sonho, tal como o meu. Deixo-vos com a playlist que criei em jeito de homenagem a esta doce recordação. A banda sonora acompanhou-nos para todo o lado e espero que seja uma fonte de inspiração para vós. Stay tuned!

Grupo by Éme - Ericeira Boutique Flat
Rua São Vicente, 1
Ericeira
reservas@byeme.pt

---
Todas as fotografias foram captadas com o Samsung Galaxy S7, smartphone gentilmente cedido pela marca.