Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Às Cavalitas do Vento

Sex | 30.09.16

a Aurora da designer de jóias Joana Mota Capitão


As vibrações tropicais do Valverde Hotel, em Lisboa, ressoaram, ontem, na apresentação de uma coleção de jóias que tem tanto de delicada como de arrebatadora. Falo-vos de AURORA, a nova linha de joalharia contemporânea da talentosa Joana Mota Capitão. Há uma fusão magistral entre o passado e o presente, uma simbiose de cortar a respiração entre aquilo que nos é intrínseco, orgânico, e os materiais que a terra faz renascer. 


Qual Pocahontas dos tempos modernos, a modelo Milena Cardoso brilha numa produção fotográfica simples, vulcânica, selvagem e pantanosa. As inspiradoras fotografias de PF Duarte, rodeadas dos gritos da natureza, fazem-nos perder o norte com um olhar enigmático. Desejamos vestir o corpo de emoções e colocar a nossa alma a nu, para que as jóias nos enfeiticem por inteiro.

No mais recente trabalho de Joana Mota Capitão há referências à avó, antiquária de profissão, e à semente que rega todos os dias, com um carinho infinito, e que encontrou poisio na sua barriga; e talvez por isso esta seja a sua obra mais especial em quatro anos de magia na área do design de autor.


De AURORA fazem parte anéis, brincos e botões de punho, que se afiguram aos nossos olhos com a linguagem depurada, fluída e vigorante à qual já nos habituou. E confesso-vos que não paro de pensar naquele par de brincos de tom oxidado, que pode ser usado de três formas diferentes. É uma peça verdadeiramente singular, romântica, inesquecível e eterna, que torna qualquer look naquela que é a minha all time favourite interjeição: bang bang!


A noite foi mágica ao som do jazz de Diana Castro, à média luz e à beira da piscina, com um copo de vinho branco da Herdade do Portocarro na mão, o vento a soprar mansamente nas copas das árvores e a companhia mais-que-perfeita. E conhecer pessoalmente esta fazedora de histórias preciosas, que se reinventa a cada novo amanhecer, foi um privilégio daqueles que aninhamos num dos cantinhos da memória, resguardado das sombras e embebido em amores imensos. 


Bom fim de semana, queridos leitores! 
Qua | 28.09.16

começar o dia com um sumo verde


Acordaram cedo e estão a precisar de um boost de energia, de forma a que a vossa manhã comece com um sorriso no rosto? Que tal prepararem um sumo verde rico em potássio, fibras, vitaminais e minerais? Se procuram uma opção nutritiva e saciante, fiquem a saber que a marca nacional Sonatural começou a comercializar umas caixinhas com todos os ingredientes necessários à preparação de um sumo detox. O Pingo Doce já tem esta pequena maravilha à vossa disposição. 

Limpar o organismo de uma ponta à outra, prevenir a prisão de ventre, regular o colesterol, conferir elasticidade às células da derme e rejuvenescer os músculos é uma das vossas metas? A vossa saúde e boa forma física agradecem. Ora então vamos lá confecionar a nossa poção mágica matinal.

Ingredientes
Duas maçãs / Aipo, espinafres e pepino a olho / Rodelas de limão

Modo de preparação
Adicionar o conteúdo num copo misturador ou robôt de cozinha, juntando um copo de água (ou gelo) e fios de agave biológico. No caso de optarem pelo primeiro utensílio, batam a mistura durante três minutos; se, por outro lado, escolherem a segunda hipótese, dispensem um minuto do vosso tempo. Valerá imenso a pena!

Rentabilizem o vosso dia ao máximo. Tomem o pequeno-almoço com calma e tranquilidade, dediquem dez minutos a planear a semana e a organizar a secretária de trabalho, obriguem-se a respirar e a fazer intervalos de cinco/dez minutos para aliviar a tensão do corpo, e ao final do dia aproveitem para caminhar ou andar de bicicleta. Ah, o regresso das noites frias nunca poderá ser uma desculpa. 

Seg | 26.09.16

Dickens, o meu copiloto


“Cats are notoriously picky about who they like. Seeing me with my cat softened me in [others] eyes. It humanized me. Especially after I'd been so dehumanized. In some ways it was giving me back my identity. I had been a non-person; I was becoming a person again.” 

― James Bowen em A Street Cat Named Bob: How One Man and His Cat Found Hope on the Streets

Há por aí mais alguém desejoso de ver este filme? E quem já leu o livro? Bom fim de semana! 
Sab | 24.09.16

a nova coleção Homewear da Women'secret


O cheiro a terra molhada paira no ar e a vontade de ficar na ronha, enroscada na manta polar a beber chocolate quente com laranja, cresce dentro do peito. E a Women'secret acaba de lançar uma coleção confortável, elegante e feminina para receber o outono em todo o seu esplendor.

A linha 'Homewear' foi renovada e veste-se agora de tons neutros, envolvidos numa ambiência pastel. Estão a imaginar o vosso corpo envolvido por uma malha macia e quente, enquanto vêem um filme no sofá, com um iogurte bio, granola caseira e frutos do bosque no regaço, o gato a ronronar aos vossos pés e o toque da mão dele a garantir que tudo vai dar certo? Ai, tenho tantas saudades das noites compridas e de tempestade, daquele temporal de amor que sabe a infância e a lugar seguro. Com a Ella Fitzgerald a falar-me ao ouvido, com a sua voz doce e cristalina. Fica em mim, outono. Demora-te aqui e abraça tudo o que te quero dar. Combinado?


Se querem demorar o vosso tempo no ninho, no chão a que chamam casa, então a macieza das texturas da roupa interior e dos pijamas deve ser mais do que uma premissa no vosso dia a dia. A paleta de cores suaves, as rendas voluptuosas e os padrões românticos (e com uma pitada de ousadia da boa) são um must have no vosso armário, para abraçarem esta que é a estação da valsa das folhas secas. Apostem em combinações harmoniosas, para que se sintam sensuais, confiantes e tão flawless quanto possível. E aceitem ser amadas pelas rabanadas de vento e pela brisa que, serena, vos visita. Recomecem e sejam felizes. E aqui para nós que ninguém nos ouve: QUERO TUDO!


Visitem o site da marca e maravilhem-se com a delicadeza, fluidez e leveza das peças. Bang, bang, bang!

Sex | 23.09.16

sê bem-vindo, outono


"I know for sure that appreciating whatever shows up for you in life changes your whole world. You radiate and generate more goodness for yourself when you're aware of all you have and not focusing on your have-nots". Esta frase, retirada do livro What I Know For Sure, de Oprah Winfrey, tornou-se o meu mantra de setembro. Nunca pensei que o meu mundo ficasse totalmente virado do avesso num mês que ainda nem viu o seu fim, mas que trouxe consigo as reconfortantes sensações do meu adorado outono. O sabor de um Pumpkin Spice Latte do Starbucks e do bolo de cenoura da minha mãe, o som da agulha num vinil de The Platters, o conforto de uma manta polar, o calor das mãos dele e do carro que me recebe, o cheiro a canela, a mel e a terra molhada, as viagens nas páginas do livro de cabeceira, a paleta de tons amarelos e castanhos, aos quais se juntam os laranjas, vermelhos e roxos. Estas são as bênçãos da vida.

No início de agosto, os ventos da Régua sussurram-me promessas de mudança e eu senti o seu ímpeto vulcânico a percorrer as vielas do meu corpo. À semelhança de uma mensagem de um fortune cookie, os meus pressentimentos transformaram-se em certezas. A paciência é uma virtude, é certo. Esperei alguns anos para abraçar um novo desafio, para alterar a minha rotina diária e desassossegar (da forma mais inspiradora possível!) os meus percursos matinais. Os jardins verdejantes invadiram o meu caminho e a bicicleta parece ansiar pela liberdade fora de quatro paredes.

Sim, fechei mais um ciclo do meu percurso e comecei a escrever uma nova história no meu diário de gratidão. Escolhi abrir o meu coração por inteiro para receber tudo o que o universo tem para me oferecer. Todos os dias. E a verdade é que as gavetas do passado guardam agora a sete chaves todos os meus navios afundados e as minhas más escolhas. Sem eles, não teria sido capaz de dirigir o olhar para as constelações mais bonitas e demorar toda a atenção na minha rosa dos ventos. Encontrei um porto de abrigo para o meu coração sonhador e, por enquanto, é aqui que quero atracar todas as luzes incandescentes do meu presente. Ele conseguiu a minha terra possuir ao pintá-la com quantas cores o vento tem. 11, disse ele. Um dia saberão a razão para este número ser tão especial para mim.


E porque esta estação do ano me ofereceu uma oportunidade para ser ainda mais feliz, partilho convosco a #JJBucketList para outubro. E 11 foi a conta que ela fez, pois claro:

1. Beber um Pumpkin Spice Latte no Starbucks mais encantador do país. [Qual é o vosso favorito?]
2. Ver os filmes Far from the Madding Crowd, The F Word, A Cat in Paris, April and The Extraordinary World, It's Kind of a Funny Story, A Walk in The Woods The Nice Guys
3. Ler os livros motivacionais The Happiness Project, de Gretchen Rubin, e O Ponto Morto, de Seth Godin, nos transportes e antes de adormecer.
4. Deliciar-me com maçãs e castanhas assadas. Não pode faltar canela e erva doce.  
5. Decorar a minha casa a rigor para celebrar mais uma noite horripilante de Halloween. 
6. Contemplar um dia de chuva pela janela e ter a voz de veludo de Nat King Cole no gira-discos.
7. Fazer uma escapadela de fim-de-semana, quem sabe já no meu carro novo.
8. Abraçar todos os meus amigos do coração e convidá-los para lanchar.
9. Encontrar a camisola de lã cor de alfazema dos meus sonhos.
10. Preparar um pequeno-almoço caseiro, com direito àquelas panquecas cobertas de compota, agave e fruta. E aninhar-me nele, de seguida. Até quando nos apetecer.
11. Parar quieta, respirar profundamente e apreciar o silêncio. 


[Todas as imagens foram retiradas do Pinterest.]